Páginas

terça-feira, 28 de abril de 2015

Maioridade Penal, o que dizer? Reduzir ou manter?


   
Sessão especial realizada hoje na Câmara de Santarém: Tema " Maioridade Penal", requerente , vereador Dayan Serique. O parlamentar deixou claro e se posicionou contra o assunto: " Sou contra a maioridade Penal", destacou o vereador!

 Redução da maioridade penal não diminui a violência. O debate está focado nos efeitos, não nas causas da violência.
A primeira reação de alguns setores da sociedade sempre que um adolescente comete um crime grave é gritar pela redução da maioridade penal. Ou quase isso: dificilmente vemos a mesma reação quando a vítima mora na periferia (nesses casos, a notícia vira apenas uma notinha nas páginas policiais). Mas vamos evitar leituras ideológicas do problema.
A redução da maioridade penal não resolve nem ameniza o problema da violência. “Toda a teoria científica está a demonstrar que ela [a redução] não representa benefícios em termos de segurança para a população”, foi o que afirmou Dr.Marcos Vinícius Furtado, presidente da OAB.
A discussão em torno na maioridade penal só desvia o foco das verdadeiras causas da violência.
O Instituto Não Violência é bem enfático quanto a isso: “As pesquisas realizadas nas áreas social e educacional apontam que no Brasil a violência está profundamente ligada a questões como: desigualdade social (diferente de pobreza!), exclusão social, impunidade (as leis existentes não são cumpridas, independentemente de serem “leves” ou “pesadas”), falhas na educação familiar e/ou escolar principalmente no que diz respeito à chamada educação em valores ou comportamento ético, e, finalmente, certos processos culturais exacerbados em nossa sociedade como individualismo, consumismo e cultura do prazer.
O Brasil possui hoje a terceira maior população carcerária do mundo e o sistema carcerário brasileiro está falido. O direito penal do país considera que os menores de 18 anos são inimputáveis por não terem capacidade de discernimento do caráter criminoso, é justamente nessa posição que reside a polêmica. Já existe uma ampla legislação que assegura medidas socioeducativas para os menores infratores e que essas medidas representam, penas, as quais podem chegar a até três anos em regime fechado.
Caso a maioridade penal for mudada acontecerá um aumento absurdo da população carcerária, a redução da maioridade penal vai entregar os adolescentes aos “doutores do crime”.
Em pesquisas e estatísticas neste mês de abril, de: o Globo, a Folha de S. Paulo, o Diário de São Paulo, a Revista Exame, o portal Terra a edição impressa da Veja, disseram que menos de 1% dos homicídios no Brasil são cometidos por adolescentes, dados que partiram ainda de uma pesquisa da UNICEF. Será que é invenção? Mito? Dos defensores da causa? Jamais!
E o pior, a proposta da PEC contraria ainda a “cláusula pétrea” da Constituição Federal. Ou seja: não poderia ser implantada nem pela via da emenda constitucional, já que o tratamento legal da questão estaria entre os pilares da atual ordem jurídica brasileira.
Portanto, somente uma nova Constituição, ou uma revisão constitucional ampla, possibilitaria punir criminalmente menores de 18 anos.





segunda-feira, 27 de abril de 2015

Dayan Serique denuncia aumento da violência em Santarém


O vereador Dayan Serique (PPS), na tribuna da Câmara, nesta segunda-feira, 27/04, discutiu o aumento da violência no município de Santarém. Segundo ele, cada dia que passa a sociedade se torna mais vulnerável pelo aumento de todos os tipos de violência: delinquencia, assaltos, roubos, tráfico e assassinatos. “Infelizmente a gente não percebe a ação do governo do estado para combater o aumento da vilência em nosso município”, observou.

Dayan disse também que no contingente das instituições responsáveis pela segurança pública do estado há valorosos e dedicados policias, mas eles também precisam de melhores condições de trabalho, de reconhecimento e de investimentos no aparelhamento dos órgãos de segurança. “Com a valorização dos policiais e outros investimentos, o estado daria condições de oferecer a segurança que a população de Santarém merece”, firmou.

O vereador disse que ações eficazes para garantir uma segurança de qualidade depende também de um bom planejamento por parte das autoridades responsáveis pela gestão de segurança no estado. Esse planejamento compensaria, em parte, os recursos que todos sabem que são mínimos, otimizando o combustível e outras necessidades básicas para o funcionamento regular das segmentos de segurança do estado. “Com isso, o estado daria uma resposta a altura do que as pessoas esperam. Mas do jeito que está, cada dia que passa a sociedade sente-se mais insegura”, afirmou.

O verdador também ressaltou que a Segurança Pública é dever do estado, constitucionalmente. No entanto, cabe a cada cidadão contribuir: agente político e sociedade civil podem muito bem ajudar no sentido de denunciar as ações de delinquencia. “Outra forma da comunidade contribuir com a segurança pública é ir para as ruas e cobrar do governo do estado ações efetivas para combater o aumento da violência que assola a sociedade”, finalizou.

domingo, 26 de abril de 2015

Após perder 294 kg, homem agora se prepara para "trocar de pele" nos EUA

  • Josh Haner/The New York Times
    Paul Mason se prepara para cirurgia para remover 100 kg de pele solta
    Paul Mason se prepara para cirurgia para remover 100 kg de pele solta
Paul Mason, que já pesou 445 kg e concorreu ao assombroso título de homem mais gordo do mundo, perdeu surpreendentes 294 kg depois de uma cirurgia de bypass gástrico [técnica de redução do estômago]. Mas ele ficou com um lembrete cruel e perpétuo da pessoa que já foi um dia: mais ou menos 100 kg de pele solta que o envolvem como uma coberta viva.
Ela ainda está em toda parte: pendurada nos braços, em dobras drapeadas sobre a barriga, em volta das coxas; infecciona com frequência e é tão incômoda que ele é obrigado a usar uma cadeira de rodas a maior parte do tempo. "É como se eu estivesse carregando umas crianças por aí", disse Mason.
Mason, que tem 54 anos, não conseguia encontrar um médico disposto a retirar o excesso de pele na Inglaterra, onde morou até recentemente. Mas com uma combinação de vontade forte, sorte, fé e a bondade de muitos estranhos, ele agora está morando no interior de Massachusetts e se preparando para a primeira de uma série de cirurgias de remoção de pele na cidade de New York.
Sua nova vida não poderia ser mais diferente da antiga, quando ele estava sozinho, de cama, desesperado e comendo até morrer.
"Quando eu olho para trás para aquela pessoa, aquela pessoa de 445 kg que ficava deitada na cama 24 horas por dia, só pensando em comer e nada mais, não sou eu", disse Mason. "Eu não quero ser aquela pessoa."
Tudo vem sendo uma série de acontecimentos improváveis. Depois que uma matéria sobre Mason apareceu no "The New York Times", uma cirurgiã plástica do Lenox Hill Hospital, Jennifer Capla, recebeu um telefonema de sua mãe, que também é médica.
"Ela disse: 'Você precisa ajudar este homem!'", lembra-se Capla.
Depois de ir atrás de Mason na casa dele em Ipswich, Inglaterra, Capla apresentou-lhe uma proposta de mudar a vida: se ele pudesse ir aos Estados Unidos, ela faria a cirurgia de remoção de pele e abriria mão do pagamento.
Ao mesmo tempo, uma mulher de Orange, Rebecca Mountain, viu um vídeo sobre Mason no YouTube. Ela também ficou tocada pelo quanto ele tinha caminhado e o quanto ainda precisava caminhar.
Fonte: UOL, Veja matéria Completa: http://noticias.uol.com.br/

Apontado como datado, Código Penal já foi alterado 156 vezes em 75 anos

  • Divulgação
    Luiz Flávio Gomes, jurista e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil
    Luiz Flávio Gomes, jurista e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil
Criado em 1940 na gestão do presidente Getúlio Vargas, o Código Penal brasileiro já foi alterado 156 vezes. O professor e jurista Luiz Flávio Gomes, diretor-presidente do Instituto Avante Brasil, realizou um levantamento de todas as mudanças já realizadas no texto principal em seus 75 anos de vigência. Os resultados serão publicados no livro "O Populismo Penal Legislativo", que deverá ser lançado em maio.
O objetivo do jurista com a obra é comprovar que apesar da grande quantidade de ajustes, o país não avançou no combate à criminalidade; na verdade, segundo ele, os índices só cresceram ainda mais.
Por: Márcio Padrão Do UOL, em São Paulo
Leia Matéria completa no: http://noticias.uol.com.br

Em peneira, Tapajós avalia jovens para Campeonato Santareno sub-20

O Tapajós promoveu na manhã deste sábado uma peneira no estádio Colosso do Tapajós. Cerca de 50 jovens jogadores participaram de um treinamento em busca de uma vaga no time sub-20 do Boto, que disputará o Campeonato Santareno da categoria marcado para começar entre o fim de maio e o início de junho. Os atletas foram avaliados por uma comissão técnica formada por profissionais que trabalharam no time profissional durante o Campeonato Paraense – dentre eles o treinador Vitor Hugo e o auxiliar Carpegiane Sarmento – e por Osvaldo Monte Alegre, técnico de futebol que já comandou São Raimundo e São Francisco e é o atual campeão sub-20 com o Pantera. 
Peneira Tapajós em Santarém (Foto: Gustavo Campos/Globoesporte.com)Atletas participaram de peneira no estádio Colosso do Tapajós (Foto: Gustavo Campos/Globoesporte.com)

Os jogadores foram divididos em times e participaram de um treinamento coletivo sob os olhares da comissão. Os profissionais avaliaram a atuação dos atletas e escolheram nove que serão integrados ao grupo sub-20 do Tapajós. A direção do clube entrará em contato com os jovens a partir da próxima segunda-feira. 
- Fiquei muito feliz com o convite para ajudar nessa seleção, até pela experiência que tenho com as categorias de base. Fizemos uma avaliação positiva, escolhemos nove nomes que farão parte do time sub-20. Eles começarão a treinar com o grupo e daí sim, terão que mostrar sua qualidade para ficar e terem chance no time titular – explica Osvaldo Monte Alegre. 
Os nove nomes selecionados serão chamados para os treinos do time sub-20 do Boto, que já começaram há cerca de um mês sob o comando do treinador Beto Farinha. A diretoria do clube ainda estuda a possibilidade de realizar outra peneira para avaliar outros atletas para o elenco de base. 
Peneira Tapajós em Santarém (Foto: Gustavo Campos/Globoesporte.com)Após atividade, comissão conversou com jogadores (Foto: Gustavo Campos/Globoesporte.com)
- Essa seleção foi visando o Campeonato sub-20, já tínhamos a pretensão de realizar esse processo desde o início do ano, com a presença desses profissionais. Infelizmente nem todos vão poder ficar, mas sabemos que os garotos que treinaram aqui têm muito talento. Nosso trabalho já começou, temos uma base com atletas que trabalharam com o professor Beto no ano passado e os outros que forem escolhidos possam ser integrados a partir da semana que vem – afirma Elzo Silva, coordenador das categorias de base do Tapajós. 
Este é o primeiro ano que o Boto participa das competições de base em Santarém. Também sob o comando de Beto Farinha, o Tapajós é o líder do Campeonato Santareno sub-17.

Fonte: G1 Santarém.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Peneira do Tapajós Sub-20! É neste Sábado no Colosso do Tapajós.

Atenção atletas com idade até 20 anos, neste sábado irá acontecer a Peneirada do Tapajós FC, serrá as 8:00 da manhã, no Estádio Colosso do Tapajós, as inscrições serão realizadas no estádio na hora do evento esportivo, no valor de R$ 20.00 para custear as despesas da Peneira.
Para avaliação dos atletas, vários profissionais estarão realizando esta escolha, entre eles: o técnico Vitor Hugo Siqueira, Carpegiane, Lúcio Santarém e Beto farinha.
Toda a diretoria do Tapajós estará presente, inclusive o Presidente do Clube Sandiclei Monte.

Evento Esportivo (aberto para toda região).





quarta-feira, 22 de abril de 2015

Destruição total na Curuá-Una com Santos Dummont, " Para quem reclamar, Guto?" Esse foi o questionamento!

video
Veja essas imagens! Trecho da Curuá - Una esquina com Santos Dummont, bairro de Santana, próximo o Mercadinho da Prainha. Segundo o comerciante, o problema é antigo, piorou agora, inclusive na próxima chuva, casas podem desabar, o poste da foto abaixo  pode ir ao chão e nada foi feito, ninguém tomou providencias.  


Risco de desabamento

A enxurrada da chuva, levou tudo!


video
Veja o descaso, a população sofrendo e nada é feito, as imagens dizem mais que MIL PALAVRAS!

Comerciante da área e leitor do Blog nos enviou as fotos e o vídeo!


Jorge Carlos, o maior comunicador de Santarém, visitou hoje a Câmara de Vereadores!

Jorge Carlos, 37 anos de comunicação, detentor dos maiores títulos de melhor comunicador, aproveitou a manhã desta quarta feira e foi da uma voltinha na Câmara Municipal de Santarém, o locutor conversou com o Blog e destacou a importância do Poder Legislativo para nossa cidade.
O comunicador nos próximos dias será pai outra vez, está gozando de merecidas férias e por isso a visita, ele foi reconhecido por todos os parlamentares, inclusive sua presença foi notável, seu nome fez ECO no Plenário, aliás , Jorge Carlos sem dúvida é um dos mais respeitados radialista da nossa Região, muito ja fez, contribuindo e noticiando fatos relevantes do nosso município, por isso, merece respeito. Desde ja, parabenizamos o Radialista por mais uma vez celebrar a dádiva de ser PAI, por aqui as coisas acontecem em tempo, se duvidar até antes, valeu Jorge.



CLAUDIOMAR DE OLIVEIRA FURTADO É O NOVO DIRETOR DO DETRAN EM SANTARÉM É O NOVO DIRETOR DO DETRAN EM SANTARÉM!



CLAUDIOMAR DE OLIVEIRA FURTADO, Mazinho, como é conhecido, assumirá nas próximas horas o Detran de Santarém, o nome do novo diretor, saiu hoje no Diário Oficial do Estado. O professor Clauriberto Levy, deixará o cargo, que terá um novo comando. Mazinho é bacharel em direito e tem tudo para realizar um bom trabalho no órgão, uma vez que o Detran em santarém sempre foi alvo de críticas.

O Blog deseja sucesso ao novo diretor do Detran e se dispõe a divulgar as melhorias e ainda, cobrar o empenho do novo gestor, para que a estrutura do órgão passe por mudanças radicais, além do bom serviço prestado que deve ter um planejamento diferente para atender a população.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Seja um parceiro do Amazônia Diagnóstico!



Medicina Ocupacional agradece aos novos parceiros da Medicina Ocupacional. Confira quem agora cuida bem da sua empresa através dos nossos serviços!
Rio Norte Veículos, Unitapajos Navegações, ADS Construções Elétricas, Cintiloscan, Laminados de Madeira,Metha Mecânica. Faça como eles agende uma visita e saiba mais sobre a Medicina Ocupacional e seus benefícios aos colaboradores 3522-46-88 ou 3523-49-22 Amazônia Diagnósticos espera por você.

Foto de Amazônia Diagnósticos.

Água estragando e o POVO não tem nem para tomar Banho!

As fotos foram enviadas para o Blog Farol do Tapajós nesse instante. Os moradores do bairro do Aeroporto velho, estão insatisfeitos, pelo menos 3 dias sem água e como as fotos mostram, a água estragando em umas das caixas que abastece ou deveria abastecer o bairro, pior, a conta chega todos os meses, inclusive com uma cobrança de R$ 14,00 sempre, que se repete todos os meses. A água é cobrada em Santarém aleatoriamente, pois não se tem como fazer a medição do real gasto de água nas residencias.
Para piorar, a última foto mostra a parte de cima da caixa d'água situada no aeroporto Velho, só mato, a ponto de precisar roçar e ninguém toma conhecimento, a estrutura está entregue as baratas, essa que é a realidade, enquanto isso os moradores do bairro, estão sem o líquido a pelo menso três dias.
Isso é uma vergonha!




sexta-feira, 17 de abril de 2015

HRBA: Hospital Acreditado ONA Nível III

HRBA: Hospital Acreditado ONA Nível III




Foto de Hebert Moreschi Hrba.






Depois de oito anos em operação, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), sediado em Santarém, pertencente ao Governo do Estado do Pará e administrado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), recebeu no dia 11 de março uma das maiores e mais conceituadas certificações de qualidade de serviços de saúde do Brasil - o Certificado ONA III -Acreditado Com Excelência, a classificação máxima concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O Certificado tem validade até 2017.
O conceito “excelência em gestão” reconhece a cultura organizacional de melhoria contínua da gestão, revelando a maturidade da instituição em todas suas dimensões, destacando-se, ao cabo, a segurança do paciente e alta resolutividade médica.
Para chegar ao nível de Excelência, o hospital passou por uma crescente evolução, desde 2008, quando a Pró-Saúde assumiu (em maio daquele ano) a administração e implantou um modelo de gestão moderno, reconhecido pelo Ministério da Saúde, conforme os padrões internacionais de administração hospitalar.
Atualmente, apenas 1,2 % dos hospitais públicos e privados do país podem ostentar essa certificação. Nenhum outro hospital público tem esse reconhecimento na Região Norte.
Hospital é referência em oncologia, neurocirurgia, traumatologia, cirurgia de alta complexidade, hemodiálise, dentre outras. O HRBA cobre uma região de 20 municípios com população de mais de 1 milhão de pessoas.
Credenciado junto ao Ministério da Saúde, está habilitado a fazer captação de órgãos para transplante.
POLÍTICA PÚBLICA
A concessão da certificação máxima da ONA é o coroamento de uma política pública de alta qualidade em saúde.
Atesta o acerto do Governo do Estado ao criar uma rede de hospitais de alta e média complexidades em meados de 2006, para descentralizar os serviços especializados, e reduzir o impacto das demandas na rede da capital e qualificar a rede de saúde do interior do Pará com serviços de alta qualidade. 
Fazem parte dessa rede 11 hospitais, sendo administrados pela Pró-Saúde cinco unidades: Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (Ananindeua); Hospital Galileu (Belém); Hospital Regional do Baixo Amazonas (Santarém); Hospital Regional Público do Sudeste do Pará (Marabá) e Hospital Regional Público da Transamazônica (Altamira). O Metropolitano e o Galieu são outros hospitais que estão desenvolvendo um programa de qualidade visando a certificação ONA I.
HOSPITAL DE ENSINO
Em novembro de 2013, o HRBA foi certificado pelos Ministérios da Educação e da Saúde como Hospital de Ensino e Pesquisa - o primeiro do interior da Amazônia.
Cerca de mil acadêmicos dos cursos de Fisioterapia, Enfermagem, Psicologia, Radiologia, Medicina, Farmácia, Serviço Social, Educação Física, Pedagogia e Administração, ministrados em Santarém por diversas universidades, e mais de 56 profissionais participam da Residência Médica e Multiprofissional. Destacam-se os alunos do curso de Medicina da Universidade do Estado do Pará, que chegou a Santarém integrando o projeto do Hospital Regional.
Os residentes atuam nas seguintes áreas: Cirurgia Geral, Ortopedia e Traumatologia, Medicina da Família e da Comunidade, Pediatria, Anestesiologia, Neurocirurgia, Clínica Médica, Cancerologia Clínica e Cirurgia Oncológica.
PERFIL DO HRBA
O HRBA é um hospital público especializado e habilitado em traumato-ortopedia, alta complexidade em nefrologia, terapia nutricional, oncologia e terapia intensiva. Já está em processo para habilitação em neurocirurgia.
· Especialidades médicas: 30
· Leitos de enfermaria: 128
· UTIs para Adulto: 07
· UTI Neonatal: 07
· UTI Pediátrica: 07
· UCI: 03
· ATENDIMENTO EM 2014
· Internações: 4,8 mil
· Cirurgia: 4,2 mil (incluindo oncológicas)
· Consultas ambulatórias: 53,5 mil
· Exames Laboratoriais: 341,5 mil
· Exames especializados: 529 mil (SADT)
· Sessões de hemodiálise: 22,3mil
ONCOLOGIA
O serviço de oncologia é a maior conquista para a região. Representa um diferencial respeitado na saúde pública paraense.
A evolução no número de atendimentos em oncologia é expressiva. As consultas ambulatoriais especializadas saíram de pouco mais de 780 atendimentos em 2008 para mais de 13.500 em 2014. As cirurgias passaram de 185 em 2011 para mais de 900 em 2014. Atende em média 1.300 pacientes por mês.
Contribui para reduzir o tempo de espera dos pacientes para o tratamento (por lei, o máximo são 60 dias). Em Santarém, não há, atualmente, demanda reprimida para o tratamento do câncer.
Em seis anos, milhares de pessoas já foram atendidas em Santarém com cirurgias, sessões de quimioterapia, radioterapia e ações sociais e também com consultas preventivas. Ilustram o histórico, dados da quimioterapia: as sessões evoluíram de 592 no primeiro ano de funcionamento da Oncologia, para mais de 7 mil sessões em 2014.
Outros números da Oncologia em 2014:
•Consultas de radioterapia – 2,6 mil
•Consultas oncológicas – 10,9 mil
•Sessões de radioterapia – 23,34 mil
•Cirurgia oncológicas: 900
O HRBA também se destaca nos meios científicos. Suas equipes médicas e multiprofissionais já apresentaram, em eventos técnicos mais de 100 trabalhos científicos.
Hoje, o índice de satisfação de pacientes e usuários do HRBA é de 85%.
RELAÇÕES COM COLABORADORES
Atuam, hoje, no HRBA, 1050 colaboradores, entre eles, 117 médicos. Os profissionais do HRBA também recebem reconhecimento interno, através da Política de Gestão de Pessoas, que premia os colaboradores destacados pela competência e gestão de resultados.
RELAÇÕES COM A COMUNIDADE
A atuação na comunidade é uma estratégia de prevenção. Os especialistas do hospital (mastologistas, urologistas, oncologistas clínicos, hematologistas e cirurgião oncológico, além de enfermeiros oncológicos e técnicos em enfermagem) se revezam em campanhas sucessivas dentro e fora do hospital. Já visitaram os seguintes bairros de Santarém, além de localidades do interior: Mapiri, Liberdade e Diamantino, Perema, Alter do Chão, Boa Esperança, São Miguel das Missões, essa última distante cinco horas de barco do centro de Santarém.
O QUE É A ONA
A ONA é uma instituição civil independente que congrega várias instituições de pesquisa e auditoria de serviços de saúde, que segue protocolos internacionais do setor de auditoria e certificação médico-hospitalar.
Apenas Instituições Acreditadoras Credenciadas - IACs podem realizar avaliações pela metodologia do Sistema Brasileiro de Acreditação - ONA.
A ONA foi criada por várias instituições de renome no campo da saúde nacional:
· Associação Brasileira de Medicina de Grupo – ABRAMGE
· Confederação Nacional de Saúde – CNS
· Federação Nacional de Saúde Suplementar – FENASAÚDE
· Federação Brasileira de Hospitais – FBH
· União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde – UNIDAS
Fazem parte do Conselho de Administração da ONA, entidades associadas que têm afinidade com os princípios, ideais e finalidades visando processos de acreditação.São credenciadas pela ONA as seguintes organizações especializadas em auditoria e planejamento:
· Fundação Vanzoline
· Instituto de Planejamento e Pesquisa para Acreditação em Serviços de Saúde (IPASS)
· Instituto Qualisa De Gestão (IQG)
· Instituto de Acreditação Hospitalar e Certificação em Saúde (IAHCS)
· Instituto Brasileiro Para Excelência em Saúde (IBES)
· DetNorskeVeritas (DNV)
OUTROS RECONHECIMENTOS
O HRBA recebeu diversos reconhecimentos nacionais e internacionais:
· Gestão Sustentável – concedido durante o “VI Seminário de Hospitais Saudáveis”;
· Prêmio Nacional por Gestão e Auditoria de Prontuários.
· Referência Brasileira na III Conferência Latino Americana da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis, realizada na Argentina,
· Certificado Ouro Pró-Sustentabilidade – concedido pela 3M
· Certificado Hospital Carinho – Johnson & Johnson
· Hospital Amigo do Meio Ambiente – concedido pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo,
· Melhor Projeto de Gestão 2014 - prêmio nacional promovido pela Federação Brasileira dos Administradores Hospitalares.


Beber cerveja pode livrar de doenças neurológicas como Alzheimer e Parkinson, diz estudo!


Cientistas descobriram um ingrediente na cerveja que pode retardar a progressão de doenças degenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

Por Redação - Fonte: DailyMail

Em experiências de laboratório, eles descobriram que a substância química, chamada xanthohumol, pode ajudar a proteger as células do cérebro dos danos oxidativos associados à demência.
A pesquisa, publicada no Journal of Agricultural and Food Chemistry, sugeriu que as pessoas que bebem regularmente cerveja podem afastar a progressão de doenças neurológicas.
O Dr. Jianguo Fang, da Universidade de Lanzhou, na China, disse: "Essa substância pode ser encontrado em um grupo de plantas secas e são amplamente usadas em cervejas e alguns tipos de refrigerantes”.
Ele prossegue: “Na medicina tradicional chinesa, o lúpulo têm sido utilizado para tratar uma variedade de doenças por séculos. A presença de uma elevada concentração de xanthohumol em cervejas pode ser associado à observação epidemiológica, tornando o hábito de beber cerveja algo benéfico”.
Xanthohumol tem atraído um interesse considerável por causa de suas funções farmacológicas múltiplas, por ser antioxidante, proteger o coração, ser anticancerígeno, contribuir contra a obesidade, ser anti-inflamatório e prevenir o câncer.
A equipe do Dr. Fang isolou moléculas de xanthohumol e testou em células cerebrais de camundongos em uma série de experimentos de laboratório. Eles descobriram que o xanthohumol reduziu o nível de estresse oxidativo nas células, um processo prejudicial que é tido como intimamente ligado a doenças degenerativas.
No artigo na revista, os pesquisadores disseram: “As células neuronais são particularmente vulneráveis ​​ao estresse oxidativo por ter reposição limitada durante toda a vida. Cada vez mais provas mostram que o estresse oxidativo é uma das causas de patogenias neurológicas e de doenças neurodegenerativas, tais como Alzheimer e Parkinson”.
“Bloqueando o processo oxidativo, torna-se eficiente bloquear ou retardar o processo que desenvolve tais doenças”, concluíram.
A equipe do Dr. Fang sugeriu que a cerveja pode retardar doenças neurológicas comuns, mas eles também sugeriram que a molécula poderia ser usada em medicamentos, em concentrações maiores.
Eles citaram um estudo canadense de 1998, em que homens que bebiam regularmente cerveja possuíam taxas menores de câncer de próstata, um efeito que também é creditado ser pelo xanthohumol.
No entanto, cientistas que não estiveram relacionados com o estudo, alertam que o consumo excessivo de cerveja, em uma frequência muito alta, pode ser um problema, já que o excesso de álcool está associado a um risco maior de demência por destruir tecido cerebral.
Os médicos orientam a não beber excessivamente cerveja buscando efeito protetor, mas dizem que a pesquisa é importante e pode levar à elaboração de novos medicamentos na luta contra as doenças neurodegenerativas.
O Dr. Arthur Roach, diretor de pesquisa da Parkinson UK, disse: "Muitas drogas têm suas origens em produtos naturais. Xanthohumol, a ‘molécula da cerveja’ em que este estudo enfoca, parece ter efeito protetor sobre as células cultivadas em laboratório”, disse.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Aqui tem Cultura!

Flor de Aguapé


FLOR DE AGUAPÉ
Walmir Pacheco

Tapajós dos moleques, brincar de pira e de mergulhar
Das lavadeiras negras que se juntaram pra conversar
Rio das meninas moças que catam flores de aguapé
E reclamam do Boto porque?
Vira rapaz bonito e engana mulher.
Tua lua é mais acesa e de madrugada se enche de luz
Temos a mesma sorte nascer no norte que é o nosso lugar
Juro que poesia não vai faltar...
Quem sabe até quisesse, ao invés do norte correr pro sul
Banhar mulheres loiras, de pele brancas e olhos azuis
Ficar sem a mãe d’água sem ter a santa pra namorar.
Sem o Isoca pra te reger, ficar sem a cantiga do uirapuru
Ficar sem teus Poetas Maria José e Alter do Chão.
Mas, longe da pequena índia morena da cor do açaí
Tu ias secar e saudades do povo daqui...

MP ajuíza 7 ações penais contra Cerpasa por crime tributário


CerpaO MP (Ministério Público) do Pará ajuizou, só neste ano, 7 ações penais contra a Cerpasa – todas por crimes tributários que somam 170 milhões de reais. A informação é do jornalista Lúcio Flávio Pinto, em seu blog.
Abaixo, a íntegra da informação noticiada:
***
“O Ministério Público do Estado ajuizou, entre março e abril deste ano, sete ações penais contra a Cerpasa, uma das maiores indústrias do Pará, por crimes tributários, no valor total, atualizado, de 170 milhões de reais.
O 1º promotor de justiça, Francisco de Assis Santos Lauzid titular da Promotoria de Crimes contra a Ordem Tributária, denunciou quatro diretores da cervejaria, inclusive sua proprietária, Helga Irmengard Jutta Seibel.
As duas maiores ações são no valor de 95 milhões de reais e R$39 milhões pelo “uso de crédito indevido”, de junho a agosto de 2010, com base em um decreto de 2007, que foi revogado no ano seguinte.
Os crimes cometidos em 2009, 2010, 2011 e 2014 porque o contribuinte apurou o ICMS a menor por meio de base de cálculo ilegal nos meses de julho a dezembro de 2014, sonegação de ICMS, bem como o uso de crédito indevido nesses períodos, informa a peça da promotoria.”
Fonte: Blog do Jeso

terça-feira, 14 de abril de 2015

Tropical Hotel Santarém, de Arnaldo Paoliello. Uma "perola" na Amazônia

Ricardo Alexandre Paiva



O presente artigo tem como objetivo documentar e resgatar a memória do Tropical Hotel de Santarém, no Pará, um empreendimento da Companhia Tropical de Hotéis, subsidiária da Varig, enfatizando também a relação da empresa com a arquitetura moderna no Norte e Nordeste.

O Tropical Hotel de Santarém (1973), construído no oeste da Pará, no interior da Floresta Amazônica é um exemplo emblemático do desígnio da arquitetura moderna no processo de modernização de regiões longínquas do Brasil.

O Hotel foi projetado pelo arquiteto paulista Arnaldo Furquim Paoliello (1927), formado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie, representante da geração de arquitetos modernos paulistas com forte atuação a partir da década de 1950, com formação e atuação notadamente modernas. A relevância do artigo se sustenta na necessidade de compreensão dos desdobramentos da arquitetura moderna brasileira no panorama de Integração Amazônica e modernização da Região Norte, assim como no imperativo de iluminar episódios da arquitetura moderna brasileira pouco tratados pela historiografia, tanto em relação à obra, como ao autor do projeto.

Sendo assim, pretende-se efetuar uma análise crítica do Tropical Hotel Santarém, que pode ser considerado uma pérola moderna na Amazônia, discutindo o valor da obra e do seu autor, bem como as intervenções físicas e o estado atual de conservação do edifício.

O arquiteto Arnaldo Furquim Paoliello

O Tropical Hotel Santarém foi projetado por Arnaldo Furquim Paoliello (1927), arquiteto formado na FAU Mackenzie, onde ingressou em 1946 e se graduou em 1950. A princípio, a formação era de engenheiro-arquiteto e no segundo ano, o curso passou por uma reforma, mudando o período de graduação de seis para cinco anos, convertendo-se na Faculdade de Arquitetura do Instituto Mackenzie, a primeira escola de arquitetura do Estado de São Paulo.

A turma de Paoliello contou com futuros importantes arquitetos paulistas, como Rodolpho Ortenblad Filho, Roberto Cláudio dos Santos Aflalo e Carlos Cerqueira Lemos, à época em que a FAU Mackenzie era dirigida pelo arquiteto Cristiano Stockler das Neves, um dos fundadores.

                            
                 Turma de formandos do Curso de Arquitetura da Faculdade Mackenzie de 1950. 
                 Arnaldo Furquim Paoliello é 4º agachado (da esquerda para a direita)
                 Arquivo pessoal Rodolpho Ortenblad Filho [PEREIRA e GUERRA, 2011]

O Hotel Tropical Santarém: uma “pérola” moderna na Amazônia

O Tropical Hotel foi inaugurado em 1973 em Santarém, cidade considerada, historicamente, um importante entreposto comercial no oeste do Pará, nas margens da via fluvial do Rio Amazonas, no meio do caminho entre as duas principais metrópoles da Região Norte: Belém e Manaus; e localizada na confluência das águas barrentas do Amazonas e azuis cristalinas do Rio Tapajós, justificando o título da cidade como a “Pérola do Tapajós”.





O hotel constituía, à época, um importante empreendimento para a modernização da cidade, além do fato de funcionar como um dos agentes do incremento do turismo da Região Norte, pois deveria servir ao esforço do governo militar de suscitar a “Integração Amazônica” por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia – Sudam. A agência deveria estabelecer estratégias geopolíticas de articulação da região à dinâmica econômica nacional, por intermédio da construção de estradas, da modernização das infraestruturas aeroportuárias e dos incentivos fiscais.

A localização estratégica de Santarém nas rotas fluviais na Amazônia e mais recentemente, nas rotas aéreas, firmando a sua centralidade em relação ao oeste do Pará, acendeu desde a década de 1970 a aspiração de emancipação do suposto Estado do Tapajós em relação ao do Pará, sendo Santarém a capital.

Segundo Paoliello, à época em que trabalhou no projeto do Hotel, havia um desejo por parte do então Ministro dos Transportes do Governo Médici, Mário Andreazza, de construir uma rodovia conectando Brasília a Santarém com o intuito de facilitar a exportação de gado do Centro-Oeste a partir do porto de Santarém. A construção do Hotel se insere, portanto, em um contexto mais amplo de modernização, conforme a citação abaixo:

“Este projeto encontra justificativa, pois a cidade Santarém que hoje possui cerca de 70.000 habitantes, sendo a maior cidade do Pará depois da Capital, e está crescendo a uma taxa demográfica de 10% ao ano, devendo com os grandes investimentos federais, estaduais e municipais que atualmente se fazem, como: o maior porto fluvial da bacia Amazônica, obras de saneamento básico, estrada Cuiabá-Santarém, usina hidroelétrica de Curuá-Una e os consequentes reflexos na área da iniciativa privada; se tornar, pala a sua estratégica situação geográfica, um grande centro exportador de riquezas da região, principalmente minerais”.

A construção do Tropical Hotel de Santarém corroborou para o projeto político-ideológico por parte do governo federal, através da “Integração Amazônica” e das elites locais, que buscavam legitimar o movimento de emancipação por intermédios de símbolos urbanos, se valendo da modernidade arquitetônica que o Hotel expressava. É importante ressaltar que estava prevista a construção de um cassino nas dependências do empreendimento, na esperança que os jogos de azar fossem liberados, constituindo assim um atrativo para turistas nacionais e internacionais, fato que não se concretizou. Para incrementar ainda mais o fluxo de turistas no hotel, a Companhia pensou em uma rota de house boats, que transitariam entre Belém, Santarém e Manaus, articulando a cadeia de hotéis nas três cidades.

No contexto urbano de Santarém, o Tropical Hotel era (e ainda é) um dos edifícios mais icônicos, status adquirido simbolicamente por representar a modernização e contribuir para criar uma nova centralidade na cidade, reforçada pela proximidade do hotel com o início da Rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163).

Outro aspecto de inserção urbana digno de ser ressaltado se refere à previsão de construção de um Parque Municipal, que estava em fase de anteprojeto pelo arquiteto Arnaldo Paoliello à época da construção do Hotel. O “Parque Tropical” se estenderia dos jardins do Hotel até a área marginal do Rio Tapajós e possibilitaria também a conexão com um departamento náutico, uma complementação de áreas de lazer que seriam disponibilizadas aos hóspedes, com “pesca, passeios de lanchas e barcos, [...] loja para venda de souvenirs, material de artesanato local, material de pesca, esportes náuticos, bar, salas de estar e terraços em deck debruçados sobre o rio, garagem de barcos e pontão de embarque”. Entretanto, é importante salientar que nem o Parque, nem o Departamento Náutico foram realizados.
                 
                 Tropical Hotel de Santarém, implantação. Arquiteto Arnaldo Paoliello
                 Desenho original do projeto [PAOLIELLO, 1973]

O primeiro estudo concebido por Arnaldo Paoliello para o Hotel previa um programa para setenta unidades de hospedagem, estimativa feita em função da população de Santarém. Uma vez submetido ao presidente da Varig, Erick de Carvalho e ao próprio Presidente Médici, o programa de necessidades do empreendimento expandiu para 120 quartos. Destes, o General exigia a inclusão de uma suíte presidencial e a cessão de 30 unidades destinadas ao uso dos membros do governo federal. O arquiteto atendeu às demandas da Varig e do Presidente da República, embora considerasse o porte do hotel desproporcional em relação à localização e à condição urbana de Santarém no início da década de 1970.

A segunda versão do projeto foi construída em pouco mais de um ano, por operários, na sua maioria advinda de Brasília, depois da dispensa dos candangos, provocada em muitos casos pelo já avançado estágio de construção da capital federal.

A implantação é bem marcante, seja pela rampa, quase um viaduto, que dá acesso ao Hotel e abriga as funções variadas de comércio e serviços voltadas para a avenida, seja pela sua disposição, solta em meio a uma grande quadra, impondo-se em relação ao entorno, marcado por uma estrutura fundiária mais tradicional.
                                                     Tropical  Hotel de Santarém, perspectiva do conjunto. Arquiteto Arnaldo Paoliello
                 Desenho original do projeto [PAOLIELLO, 1973]

Do ponto de vista arquitetônico, o edifício se sobressai não somente pela monumentalidade da sua implantação, visível nas dimensões generosas da edificação (20 mil m²), mas também pela diversidade de usos coletivos que abrigava, qualificando-o como um edifício híbrido. O programa de necessidades era bem diverso e incluía “uma confortável suíte presidencial, conjunto de lojas, cinema, amplo salão de convenções dotado das mais modernas técnicas, piscinas, boate, salão de jogos, fisioterapia, departamento médico etc.”.

O programa se distribuía ao longo dos cinco níveis, sendo: o térreo, no plano da Av. Mendonça Furtado, dedicado aos usos coletivos, com previsão de 20 lojas abrigadas pela rampa que dá acesso ao lobby do hotel, estacionamento para 100 veículos, acesso ao cinema, setor de serviço (portaria, casa de máquinas, almoxarifados, lavanderia etc) e as redes de tubulação; em um pavimento intermediário (mezanino), localizavam-se áreas administrativas e de apoios aos funcionários e das áreas de lazer; no nível da recepção, acessado pela rampa havia estacionamento para 20 automóveis, o lobby e recepção do hotel e áreas de uso comum como bar nobre, estar, restaurante, salão de convenções para 300 pessoas e ainda uma boate com entrada para o público externo; nos três últimos andares se localizam as unidades de hospedagem. A qualidade espacial do Hotel está relacionada em grande medida à variação de níveis e pés-direitos.

A racionalidade da obra se materializa na regularidade modular dos elementos da estrutura em função das unidades habitacionais, expressa, por seu turno, na solução espacial, funcional e formal do edifício, que se desenvolve de forma levemente curvilínea e se debruça para a área de lazer do complexo, também com traços característicos do modernismo, conforme atesta o próprio arquiteto ao afirmar que o empreendimento “é de estilo moderno, formando um semicírculo voltado para o Rio Tapajós, numa concepção que visou, principalmente, a aproveitar a colina de oito metros em que se situa”.
                
                 Tropical Hotel de Santarém, planta do nível do lobby. Arquiteto Arnaldo Paoliello
                 Desenho original do projeto [PAOLIELLO, 1973]

                
                 Tropical Hotel de Santarém, planta do pavimento tipo. Arquiteto Arnaldo Paoliello
                 Desenho original do projeto [PAOLIELLO, 1973] 

Além das preocupações com o contexto da paisagem, note-se que o projeto era sensível às especificidade locais, pois:

“utilizou técnica artesanal da região, aproveitando as condições de mão-de-obra local. Dotados de todo o conforto moderno, seus 120 apartamentos têm acabamento de material simples em sua decoração foram utilizados móveis típicos da região, redes, madeiras regionais, couro, cortinas e tapetes com fibras locais”.
                
                 Tropical Hotel de Santarém, corte e detalhe do corte. Arquiteto Arnaldo Paoliello
                 Desenho original do projeto [PAOLIELLO, 1973]

Formalmente, a harmonia da curva é quebrada com o volume da circulação vertical e a marquise que protege o acesso ao hotel. Na parte posterior, voltada para o rio, destaca-se outra marquise, que funciona também como terraço, e uma grande pérgula. A linha dominante da composição é horizontal, mas é contrastada com empenas verticais que possuem um perfil ligeiramente inclinado, com uma base maior e diminuindo na medida em que se verticaliza, conforme confirma o arquiteto.

“A estrutura de concreto é totalmente modulada e se previu, através de colunas com perfis bem marcantes e cobertura de telhas meio tubo de fibro-cimento, dar uma personalidade ao conjunto, que se desenvolve de forma contínua e em diversos níveis, descortinando-se ângulos imprevistos e paisagens bastante agradáveis com interpenetração de jardins e terraços, rampas e vegetação tropical que se misturam com a arquitetura dando a ambientação que a disposição privilegiada do terreno oferece”.
                
                 Tropical Hotel de Santarém, perspectiva da área de lazer. Arquiteto Arnaldo Paoliello
                 Desenho original do projeto [PAOLIELLO, 1973]

É importante destacar a qualidade dos profissionais envolvidos no projeto, como o arquiteto Hideo Hashimoto, coordenador e colaborador do projeto de arquitetura; o paisagista Ney Dutra Ururahy, com forte influência de Burle Marx, conforme pode ser verificado no desenho geométrico dos jardins do Tropical Hotel de Santarém; O engenheiro Adolfo Veirano Jr., responsável pelo cálculo estrutural; a Sra. Graziella Pires Paoliello, esposa do arquiteto, que juntamente com Sra. Myriam Pettinati Mauad e Arnaldo Paoliello foram responsáveis pela arquitetura de interiores e decoração.
                
                 Tropical Hotel de Santarém, perspectiva do lobby. Arquiteto Arnaldo Paoliello
                 Desenho original do projeto [PAOLIELLO, 1973] 

Interferências na obra: à guisa de conclusão

Com base na pesquisa (em estágio inicial) empreendida pelo autor sobre a relação entre a arquitetura moderna e o turismo, o trabalho buscou registrar aspectos gerais de projetos de hotéis modernos no Norte e Nordeste da Rede Tropical de Hotéis-Varig e especificamente o caso do Tropical Hotel de Santarém, onde se constata que até então não existiam referências sobre este importante edifício, nem mesmo da atuação e contribuição do arquiteto paulista Arnaldo Furquim Paoliello à arquitetura hoteleira de feição modernista. A relevância do trabalho se sustenta na possibilidade de chamar a atenção para a necessidade de documentação e preservação desta “pérola” moderna na Amazônia, como forma de valorização do criador (arquiteto) e da criatura(obra).

Atualmente, o edifício ainda funciona como hotel, depois de um tempo sem uso, em função do processo de desarticulação e falência da Companhia Tropical e da Varig. Após negociações, o hotel foi adquirido pelo Sr. Paulo Barrudada na década de 2000, justificando a sua atual denominação de Barrudada Tropical Hotel.

O atual hotel passou por reformas internas, com mudanças de revestimentos em geral e nos banheiros e atualização de mobiliário dos quartos e demais ambientes, que não comprometeram a aparência original do projeto. Mais recentemente, a construção de uma coberta metálica em forma abobadada sobre o terraço que se debruça para o jardim pode ser considerada a intervenção mais nociva e desrespeitosa em relação à linguagem moderna do edifício.

         
                  Atual Barrudada Tropical Hotel, área de lazer, Santarém-PA
De modo geral, a manutenção atual do uso hoteleiro garante ao edifício uma certa longevidade, e adaptação às demandas contemporâneas, que se justificam pela qualidade do projeto. Em relação aos usos coletivos previstos, como as lojas e outros serviços, verifica-se que não houve uma ocupação conforme foi concebido. Caso se consolidasse, poderia valorizar sobremaneira o espaço público da avenida na qual está implantado.

Ainda que estas interferências no edifício e desdobramentos contrários ao projeto tenham ocorrido, o Hotel continua sendo um dos edifícios mais significativos da cidade de Santarém, que depois de quarenta anos passados desde a construção do Hotel, sofreu transformações urbanas relevantes, embora permaneça o desejo de criação do Estado do Tapajós.
         
                  Atual Barrudada Tropical Hotel, vista aérea, Santarém-PA
Enfim, a carência de estudos sistemáticos sobre esta temática demonstra a importância da pesquisa sobre o Tropical Hotel de Santarém e do seu autor, pois pretende, mediante a documentação deste acervo, contribuir para a sua valorização, conservação e preservação. O trabalho, ao registrar este legado, almeja ainda colaborar para a produção de conhecimento sobre a cidade e a arquitetura no Norte e Nordeste do Brasil.